Ir para o conte�do
podcast Prospectar Clientes

O mercado de planos de saúde e o seu engajamento

Leitura: 7 min
1826 visualizações

Mercado de planos de saúde

O mercado de planos de saúde estava cada fez se tornando movimentado e comentado – afinal, os brasileiros estão cada vez se dando conta do valor de cuidar da sua saúde e bem-estar.

Antes, era comum as pessoas pensarem em um plano de saúde como um segundo plano, já que muito pouco se pensava sobre os cuidados necessários com a saúde em longo prazo. Hoje em dia – seja por conta do momento vivido ou outros fatores – a demanda no mercado de planos de saúde tem crescido.

Nesse texto, iremos discutir um pouco mais sobre o mercado de planos de saúde – como ele está, quais os métodos de engajamento e muito mais!

 

Mercado de Planos de Saúde no Brasil

A população Brasileira vem crescendo muito a cada ano. Essas novas gerações terão uma melhor condição financeira, afinal estão investindo muito em educação.

O sistema público de saúde também está melhorando muito o atendimento. Porém, por mais que a saúde pública melhore, quem tem uma condição financeira melhor não vai querer depender apenas dela. Isso é logica de investimento: saber diversificar.

Todos os anos é a mesma coisa, alguma operadora de saúde fecha. E quantas operadoras de saúde você vende? Se é difícil para quem vende vários planos, imagine para quem vende uma única operadora e corre o risco de ver essa operadora fechando do dia para a noite.

Teoricamente estará desempregado. Acho que é hora de você começar a refletir sobre as mudanças que estão surgindo em relação ao mercado de planos de saúde.

 

Como anda o mercado de planos de saúde?

O mercado de planos de saúde, pela primeira vez, cresce bastante – e o seu número de beneficiários também.

De acordo com a NAB – Nota de Acompanhamento de Beneficiários – feita pelo IESS – Instituto de Saúde Suplementar – o setor de plano de saúde apresentou crescimento de 64 mil novos contratos médico hospitalares no ano passado, crescimento de 0,1%.

A última vez que um resultado apresentou positivo assim foi em junho de 2015, um acréscimo de 0,2% do ano anterior, de acordo com a ANS – Agência Nacional de Saúde.

Apesar de pequeno, esse avanço pode marcar uma grande mudança no mercado de planos de saúde em 2018.

Ou seja, o comportamento do mercado parece favorável e recuperando-se, mas ainda é preciso cautela e acompanhar as atualizações por parte da ANS.

É importante salientar que esse avanço está diretamente ligado à economia do país e geração de empregos formais, já que as empresas tendem a oferecer planos de saúde.

A região que demonstrou um número maior foi o Sul (1%) e Nordeste (0,8%). Piauí teve o maior crescimento (3,9%) e Mato Grosso do Sul teve a maior queda (11,9%).

Outra grande queda foi no Rio de Janeiro, que perdeu mais de 70 mil clientes em 12 meses e, em compensação, Paraná ganhou mais de 50 mil novos beneficiários.

 

O mercado de saúde

Nos últimos anos, a área da saúde acompanhou o momento de instabilidade econômica do país. Ao passo que muitos pacientes abandonaram seus planos particulares para a integrarem a rede pública, empresas responsáveis por esses planos compreenderam a necessidade de se tornarem financeiramente mais acessíveis.

É frente a essa mudança que, para os próximos anos, a previsão — como aponta o Saúde Business — é de que a economia do país tenha impacto positivo na saúde, ocasionando o retorno de pacientes aos planos particulares.

Esse retorno é gradativo e, acompanhando outras mudanças na forma de consumo da sociedade, continuará exigindo que os valores praticados sejam mais atraentes.

Para tanto, fatores que já fazem parte do mercado em diversos países, como o uso de soluções inovadoras e a oferta de novos modelos de atendimento (como o de saúde sob demanda), devem se tornar cada vez mais comuns no Brasil.

Como já é de conhecimento, a expectativa de vida da população aumentou, bem como a incidência de problemas como hipertensão, diabetes e obesidade. Para lidar com essa questão, é preciso enfrentar a burocracia do sistema de saúde vigente no país — e como aponta o Blog do Bem — diferentes agentes devem estar envolvidos nesse desafio, incluindo empresas particulares e o governo.

E é aí que a tecnologia aparece como forma de tornar a saúde cada vez mais acessível, permitindo que as instituições sejam capazes de oferecer serviços de qualidade a custos mais baixos. E um ponto importante, sem que isso afete a sustentabilidade financeira das instituições.

 

Engajamento com o cliente é a nova tendência

Sabe aquela diferença que todo mundo fala que um vendedor de plano de saúde precisar ter? Não é fácil encontrar essa diferença em um mercado tão concorrido, onde as pessoas estão sempre exigindo um bom atendimento. Você pode fazer diferente de muitos vendedores. Essa diferença está no engajamento, saber exatamente o que o cliente quer, adaptar suas conversas com ele de acordo com suas necessidades, e mostrando os benefícios dos planos de saúde para essa pessoa e o impacto que o plano de saúde vai fazer na vida do cliente.

Um outro fator muito importante é a facilidade que o cliente caso tenha alguma dúvida possa lhe encontrar novamente. Por isso é importante ter perfis nas redes sociais deixando bem claro com o que você trabalha. Isso ajuda a transmitir mais confiança com o cliente. Não é todo vendedor que tem coragem de expor a cara, falando que vende plano de saúde.

Pedir para o cliente lhe fazer recomendações no Facebook também é muito interessante. Isso pode lhe ajudar a conquistar novos clientes, é uma estratégia bem simples, mas poucos vendedores de plano de saúde utilizam. Existem muitas estratégias que podem ser utilizadas nas redes sociais para criar esse engajamento e realizar vendas.

Uma tendência é as pessoas procurarem nas redes sociais o perfil do vendedor, para ter a certeza se ele é vendedor de plano de saúde ou se tem algum conhecido que também o conhece.

 

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: